sexta-feira, 22 de abril de 2016

E ASSIM SOMOS ESCULPIDOS ...

(Pintura de Sergio Ferro)



Há pedaços de mim
espalhados por tantos caminhos...
em alguns, nunca estive,
mas alguém os levou
sem pedir anuência

Há pedaços de outros
ao meu corpo agarrados.
Também não os pedi,
mas ficaram,
porque deles gostei
porque os abracei
porque me transformaram

Essas portas abertas
que se nos apresentam
são convites,
como os que ofertamos
com as que não fechamos

Em algumas entramos
e ao sair já não somos
os mesmos,
há um novo entalhe
na escultura da alma
produzido em silêncio
e sem o uso das mãos



      Marilene




42 comentários:

  1. "Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós."

    E assim vamos sendo esculpidos, pelas pessoas, pelo tempo, pelas circunstancias... lindo o que vc escreveu Marilene...

    Beijos...

    ResponderExcluir
  2. Que arte a tua de fazer poemas tão lindos, tão verdadeiros e que sempre nos fazem refletir... Lindo demais ! Realmente, somos , deixamos voar, permitimos ou não, abraçamos, largamos... Sempre algum pedacinho solto no ar...Tudo que por nós passa nos deixa uma marca... Adorei! bjs, chica ( obrigadão pelos carinhos todos!)

    ResponderExcluir
  3. Maravilha, Marilene! Esses pedaços que deixamos ou que nos tiram formam o outro (s) eu (s). Amei*
    Beijo*

    ResponderExcluir
  4. L'association du texte poétique et de son illustration par l'image est parfaitement réussie. Félicitations. Belle fin de semaine , chère Marilène.

    Roger

    ResponderExcluir
  5. belo "respiro da palavra", este poema.
    gostei de ler...

    ResponderExcluir
  6. Poderá haver no encontro com os outros uma indiferença, um alheamento, ou pelo contrário, um cruzamento de dádivas que moldam as almas, esculturas sempre inacabadas. Por isso quem nos deixa, leva consigo um pedaço de nós, e nós temos dos outros grandes ou pequenos pedaços que ajudam à nossa escultura permanente.
    Poema muito bem esculpido, e muito bela e muito em harmonia a pintura.
    Bom fim de semana, Marilene.
    xx

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Marilene :)
    Somos modificados pela convivência e
    presença do outro,
    e certamente tocamos muitas vidas também.
    Estamos sempre sendo esculpidos,
    e isso dura uma vida toda...
    Muito bonita a poesia.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. belo momento de poesia.
    um poema que é um respirar vida e inspiração da sua autora.
    muito belo
    beijo
    :)

    ResponderExcluir
  9. Poema magnífico, as nossas escaladas por dentro,
    emoções que ficam, que arranham e que fogem na
    escultura das nossas almas, regidas pela música
    do nosso silêncio maior, que somos nós mesmos!...

    Totalmente identificada com o teu sentir poético,
    irmãs neste mergulho de alma.

    Adorei!!
    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  10. Marilene,
    Muito bom o seu poema, muito inspirado e com belas imagens.
    Parabéns, minha amiga.
    Abraços,
    Pedro.

    ResponderExcluir
  11. Muito bonito!!! De muita sensibilidade. Esculpimos com a alma, com sentimentos, com afetos. Da mesma maneira destruímos em minutos o que muitas vezes levamos anos esculpindo com carinho. Mas basta uma pitada de rispidez e a coisa desanda. Somos seres complexos, difícil de entender...
    Beijos, querida.

    ResponderExcluir
  12. Boa noite!
    Estou em maré de homenagem a grandes poetas:
    Agora eé so Leonel Neves... que era meu primo!

    Bjsss!

    ResponderExcluir
  13. Marli,
    Parabéns pelo poema, é fantástico!
    Amei!

    Beijinho

    ResponderExcluir
  14. Bem assim... no dia a dia vamos nos esculpindo, nos moldando, nos refazendo. Nem sei se isso é bom ou ruim, talvez mais pra bom do que ruim, afinal, mostra que estamos nos movendo, estamos vivos. Parabéns!

    ResponderExcluir
  15. OI MARILENE!
    QUE COISA LINDA, ASSIM É, ASSIM COMO QUEM PASSA POR NOSSAS VIDAS LEVA PEDAÇOS DE NÓS, TAMBÉM DE OUTROS NOS FORMAMOS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Maravilhoso poema, fica sempre em nós, um pouco de quem por nós passa.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  17. Há portas que nos transformam.
    Excelente poema, gostei imenso de cada verso.
    Bom domingo, querida amiga Marilene.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  18. Pedaços de nós. Pedaços dos outros. Pelos caminhos. Esculturas da alma. Muito belo, o poema.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Muito bonito Marilene, com seu poetizar sempre elegante e de rara beleza.
    Arquitetados somos não sólidos e com algumas brechas e por elas absorvemos tantas emoções que as vezes nos complementam, outras nos sugam. E assim vamos nos esculpindo e as vezes forjando para os mais vários sentimentos.
    Uma beleza de inspiração.
    Carinhoso abraço e bom domingo para uma semana maravilhosa.
    Bjs de paz amiga.

    ResponderExcluir
  20. tão bonito o poema, um beijinho grande para ti
    continua

    http://the3oclock.blogspot.pt/2016/04/365-days-project.html

    ResponderExcluir
  21. O tempo nos esculpe, através das experiências vividas.
    O que nos torna diferente é a forma como cada uma delas nos marca.
    A palavra, o gesto, o olhar...ferramentas que as quais esculpimos, a nós e ao outro, diariamente.
    Lindo poema,
    um abraço,
    Sônia

    ResponderExcluir
  22. Olá, Marilene... nossa alma é esculpida através de infinitos erros e acertos , muita persistência ,convivência e relacionamentos, sem o uso das mãos... Isso nos infere que o "nosso eu" não brota, não surge... não nascemos feitos, somos moldados pelo tempo , tempo que toma conta, tempo que passamos a perceber o todo ; tempo em que deixamos marcas e pedaços ou deixaram nos marcas e pedaços ,tempo em que muitas lacunas foram abertas e fechadas dentro de si...adorei!
    Obrigado pelo carinho,feliz semana, belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  23. Vc esculpe lindamente com suas palavras os afetos da vida. bjs

    ResponderExcluir
  24. Vc esculpe lindamente com suas palavras os afetos da vida. bjs

    ResponderExcluir
  25. Oi Marilene! Passando para agradecer a tua visita e gentil comentário deixado no nosso Arte & Emoções, assim como apreciar este teu belo poema, que me levou a escrever a baboseira abaixo:

    Quando o amor acontece, muitas vezes do nada,
    Cada parte, mesmo sem anuência, é fracionada.
    Sempre de cá, alguma parte para lá é levada,
    E sempre de lá, alguma parte aqui é deixada.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  26. Verdade, Marilene! Somos esculpidos dia a dia, sim, através de nossos amores e das portas que atravessamos. Belo post, boa semana!

    ResponderExcluir
  27. Cada pessoa, cada amor, é um entalhe, uma cicatriz...somos feitos de muitas delas... lindo o seu poema minha doce Marilene, beijossss

    ResponderExcluir
  28. Excelente trabalho e belo poema minha amiga.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderExcluir
  29. Como vai Marilene, tudo bem?
    Faz tempo que não venho admirar seus lindos versos e sim, eles me fizeram muita falta!
    Poesia e versos compõem a vida da gente e certamente as embelezam!
    Afinal, somos um pouquinho de tudo, cada um que chega em nosso caminho deixa um pouco de si e também, nós deixamos uma marca peculiar em cada um que passa pelas nossas vidas!

    Seus poemas continuam deslumbrantes!
    Amadurecem e se revitalizam a cada dia!
    Parabéns Marilene, por seu grande talento!
    Um beijo e uma semana maravilhosa!

    ResponderExcluir
  30. Marilene, vim agradecer todos os carinhos lindos por lá!Obrigadão! um beijo e um arzinho frrrrio daqui,rs chica

    ResponderExcluir
  31. Muito com mesmo! Show! Excelentes metáforas elegantemente elaboradas, sutil, delicada, a mesma regularidade de sempre nas excelência dos versos. Gostei imensamente, Marilene. Abraços.

    ResponderExcluir
  32. Olá mana,

    Ao ler as duas primeiras estrofes veio-me à mente a frase de Antoine Saint-Exupéry: "Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós."
    Cada entalhe da escultura da alma é esculpido através das experiências vividas, da troca natural e às vezes até inconsciente entre aqueles que se cruzam na jornada da vida. E nunca mais seremos os mesmos, pois cada detalhe possui grande poder transformador e enriquecedor.

    Poema lindíssimo e de grande sensibilidade. Adorei!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  33. Oi, Marilene sumida! Olha, publiquei outra poetisa lá no Poesia. Se puder, apareça.
    Beijo e bom dia*

    ResponderExcluir
  34. Belíssimo poema que lembra que a pedra, depois de lapidada, é outra; a vida é um burilamento espiritual feito por Deus. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  35. Fomos caminho. Somos caminho. Fomos semente. Somos semente...
    Só assim a vida tem sentido, entre chegadas e partidas e algumas esperas em apeadeiros. E tudo nos aporta transformações!
    Gostei muito, querida.
    Meu bjo :)

    ResponderExcluir
  36. Teus poemas além de serem maravilhosos, nos fazem pensar e refletir sobre a vida.
    Gostei muito desta reflexão, beijinhos no coração querida Marilene.

    ResponderExcluir
  37. Querida Marilene.

    Estes pedaços moldam-nos e completam-nos e ao longo da vida vão-nos transformando.
    Como sempre um poema muito belo, cheio de sentimento e saber.
    Amiga, estou a fazer uma pausa nos meus blogues porque nem sempre consigo "encaixar" os blogues na minha vida pessoal que neste momento precisa mais da minha atenção.
    Prometo voltar assim que possível.
    Até breve!

    Um beijinho


    ResponderExcluir
  38. Os caminhos que trilhamos, são (sempre) uma partilha de nós. Damos e recebemos; mas o que ganhamos é sempre muito valioso.
    Muito reflexivo. Precioso.


    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
  39. Levamos e deixamos pedaços por aí...

    ResponderExcluir
  40. O milagre natalino está no desejo e na esperança de cada um de ser feliz. Milagres existem sim, principalmente com tamanha benção de Deus, muitas glorias, conquistas e emoções podem ser realizadas, pois o Natal está chegando! Faça seus desejos e acredite em todos eles, pois estão prestes a se concretizarem nesta noite especial. Que seu Natal seja um verdadeiro milagre de alegrias ao lado das pessoas que ama. Que o próximo ano venha carregado de bençãos e realizações. Dizem que ´2017 é o ano da "colheita", tenho certeza que você colherá bons frutos, por só plantou alegria e coisas positivas!
    Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  41. O que dizer do tempo que em silencio absorve palavras vindas de outro tempo? Bela publicação!
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir