terça-feira, 26 de janeiro de 2016

SENTIMENTO E MEDO

(ella prakash)

                                                                             
 O sentir emudece nas esquinas,
  onde os passos são quebrados
   e os olhos abraçam interrogações.
  Solta-se, livremente, nas retas,
                       mas se assusta com a incerteza dos imprevistos                        que moram depois das curvas

O medo
    tira a beleza dos cristais,
     pontos de luz
      no escuro das promessas


                                    Marilene

                               

                                      

35 comentários:

  1. O medo... impede as ações, enfraquece a coragem...

    Beijos, Marilene...

    ResponderExcluir
  2. Profundo,Marilene e o medo realmente nos ronda a cada esquina, sem saber o que virá depois dela...

    beijos, lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  3. Bela colocação poética sobre os tormentos do medo, um sentimento que, quando extrapola o equilíbrio necessário, acaba por prejudicar os passos, impedindo uma vida mais prazerosa e surpreendente.
    Natural que tenhamos receios diante do imprevisível, mas este receio precisa vir alimentado da coragem, que é o que nos impulsiona para novas descobertas.

    Gostei imenso da colocação final: "O medo/ tira a beleza dos cristais,/ pontos de luz no escuro das promessas".

    A imagem é fantástica.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Muito grata por tua visita. Devo dizer que gostei imenso deste teu espaço. E o medo...entorpece os membros e a mente...
    Obrigada.

    Bshell

    ResponderExcluir
  5. ...os olhos abraçam interrogações...imprevistos que moram depois das curvas...e assim vamos caminhando, pedindo que tudo isso não nos leve a desistir de sonhar, de acreditar...que profundidade essa comparação do medo que muitas vezes embaçam nossa visão e não nos permite ver "a beleza dos cristais"...enfim, lindo, profundo e mágico.
    Beijos querida Marilene.

    ResponderExcluir
  6. Querida Marilene,
    Adorei o seu novo espaço e é um respiro da Palavra-Poesia!...
    Que poema magistral, na estética literária, na profundidade sintética
    e na beleza imagética, num todo de excelência poética.
    O sentir é um pouco como voar, se entregar, mas o medo preserva.
    Agora o equilíbrio é essencial, pois o medo também aprisiona e
    mata os sonhos devagar!...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Primeiro a imagem é de uma beleza explosiva.
    Depois as suas palavras, sobre o sentir e o medo que tantas vezes se interligam, são de uma sensibilidade incrível.
    A amiga Marilene solta a sua imaginação e talento neste seu lindo espaço, parabéns!

    Um beijinho

    ResponderExcluir
  8. Um espaço novo, mas a mesma magia no escrever.
    Vou ficando também por aqui a divagar nas suas palavras.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  9. Que lindo Marilene, um espaço com layout bonito leve e com estas palavras belas respingando sobre nós. Amei.
    Do outro lado da esquina moram as incertezas e as curiosidades, que buscamos decifrar.
    Sucessos neste belo espaço com toda sua elegância com as palavras.
    Carinhoso abraço e beijo amiga.

    ResponderExcluir
  10. Oi querida
    O medo literalmente nos ronda e, por muitas vezes paralisa, nas esquinas das ruas e da vida. bjs

    ResponderExcluir
  11. As esquinas e os medos, os imprevistos bem podem e devem, mais, ser vistos ou imaginados como raios de luz a nos conduzir.

    ResponderExcluir
  12. o medo por vezes tira-nos a racionalidade.
    um belo poema.
    um beijo
    :)

    ResponderExcluir
  13. Oi Marilene querida


    Lindo o novo blog...
    O poema maravilhoso como sempre...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  14. Mas parece que, às tantas, todos nós temos medo de qualquer coisa!
    É preciso é que não seja nada!...
    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  15. o medo... tal como um rio... o medo corre, corre mas um dia chega ao mar tranquilo e aí perde-se o medo...
    medo que muitas vezes nos puxa numa ponte com muito vento para passar para a outra margem ou que não nos deixe ver a outra margem...
    abrazo

    ResponderExcluir
  16. Sim. E quem já sofreu algum tipo de violência, então, teme até o movimento das sombras.

    "pontos de luz no escuro das promessas"___ que lindo isso, Marilene! ♥

    ResponderExcluir
  17. Nossa... Lindo, profundo, significativo.
    Muito bom!

    ResponderExcluir
  18. Novo espaço? Lindo e leve. De vez em quando temos vontade de mudanças, eu mudo cores etc. É gostoso.
    Quanto ao medo, nada bom esse sentimento que nos castra enterrando vontades. Sinto que, mesmo que eu lute contra ele, de vez em quando aparece, volta com força. Porém, um tiquinho de medo não deixa de ser proteção...
    Beijão!

    ResponderExcluir
  19. Do outro lado vim para aqui, e já me fiz seguidora...
    É lindo, este novo espaço!
    Medos podem ser terríveis; às vezes tolhem-nos o corpo e a mente e por estranho que pareça... podem surgir quando menos se espera. E quantas vezes são infundados!
    Por outro lado... se for na medida certa, pode representar prudência, o que é muito útil.

    Votos de excelente fim de semana.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  20. E a vida está cheia de curvas, algumas delas bem perigosas...
    Magnífico poema, minha amiga, gostei imenso.
    Bom domingo, Marilene.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  21. Belas palavras que nos soam no fundo da alma. Grande capacidade de descrição você tem! Parabéns!

    Grande abraço, Marilene!

    ResponderExcluir
  22. Bonita Poesia ! Há que vencer o medo , porque muitas vezes ele impede-nos de seguir em frente ! Bonita Poesia !

    ResponderExcluir
  23. Quanta verdade (re)velada em seus versos. Temo imprevistos e sou cheia de incertezas... por isso sei bem o que é perder o brulho dos cristais!

    ResponderExcluir
  24. Muito bonito o seu poema, Marilene. Parabéns.
    Uma boa semana.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  25. Lindo e verdadeiro .... O medo tira o brilho!!!
    Bjbj Lisette.

    ResponderExcluir
  26. Olá Marilene! Hoje, o perigo se nos apresenta em cada esquina e o medo nos acompanha em todos os momentos.

    Obrigado pela visita e amável comentário deixado no nosso humilde espaço.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  27. Quantas e quantas vezes o medo nos ronda nos fazendo ainda mais fortes para enfrentá-los.
    Lindo e forte seu poema, uma verdadeira reflexão.
    Gostei muito Marilene, um abraço e felizes dias.

    ResponderExcluir
  28. Intenso poema, Marilene. Muito bom. bjs

    ResponderExcluir
  29. Maravilhoso poema. O medo escurece nossa alma, prende nossos passos, a melhor solução é batermos de frente, encarar os fatos e ou, os fantasmas criados a partir do nosso próprio medo. Sempre és gigante nos seus poemas.Um abraço querida Marilene.

    ResponderExcluir
  30. O medo faz parte da vida. Senti-lo é saber-se inteiro nas situações. A sabedoria está em suplantá-lo, enfrentá-lo, contorná-lo, da forma que der para que ele não sufoque as ações nem impeça os avanços.

    ResponderExcluir
  31. É nas bifurcações que testamos a nossa força.
    O medo é algo bem real mas também é algo que ajuda a solidificar a personalidade. É preciso não deixar que ele retire a beleza das coisas.
    Gostei imenso desta abordagem poética a esta temática.
    Bjo, amiga :)

    ResponderExcluir